Óleo de Ojon

Óleo de Ojon: é top na recuperação de cabelos muito danificados

Ele é extraído da noz de uma palmeira e promete tratar os cabelos profundamente. Mas são tantos óleos que a gente fica confusa… Afinal, qual a diferença do ojon para os demais?
 

Que bom que existe variedade, não é mesmo? E para você não ficar de cabelo em pé olhando as prateleiras sem saber o que levar, hoje vou falar do Óleo de Ojon. O produto é considerado por muitos o melhor óleo vegetal para tratamento dos fios.

Para começar, vamos entender de onde vem esse tal óleo que diz fazer milagre pelas madeixas danificadas.

A Elaeis oleifera, ou Ojon, é um tipo de palmeira nativa das Américas Central e do Sul. Também é chamada de palmeira-de-óleo-americana, cujo fruto é uma polpa com castanhas dentro. A partir das castanhas, é feito o Óleo de Ojon (american oil).

A extração das castanhas é manual. Elas são moídas e prensadas para obtenção do produto, que é rico em lipídeos e ácidos graxos, tais como o oleico e o linoleico.

O Óleo de Ojon é tão concentrado que chega a ficar sólido em temperatura ambiente, com aspecto semelhante ao de um creme.

E o Óleo de Ojon nos cabelos, serve para que exatamente?

ojon

São muitos os benefícios do Óleo de Ojon nas madeixas. Aliás, a principal aplicação do óleo é o tratamento e embelezamento dos fios.

Graças à sua formulação rica em aminoácidos, antioxidantes naturais e lipídeos, o produto contém todos os elementos necessários para manter os cabelos saudáveis.

A própria composição do óleo é similar à dos lipídeos presentes no cabelo. Portanto, o ojon pode reestruturar os fios e os lipídeos perdidos. Com isso, é possível devolver força e resistência aos cabelos, que passam a romper menos.

E ainda: o Óleo de Ojon também auxilia o bulbo na reconstrução da fibra capilar.

Outro diferencial é que, por ser parecido com os compostos naturais dos nossos cabelos, o Óleo de Ojon é recomendado para quem tem maior sensibilidade no couro cabeludo.

Por todos estes motivos, muitas vezes o ojon é mais indicado até mesmo que o famoso óleo de argan.

Veja os principais benefícios prometidos pelo Óleo de Ojon

  • Recuperação das células capilares
  • Brilho intenso
  • Força
  • Proteção contra agressões diárias (vento, poluição, sol etc.)
  • Age como protetor térmico (use nos fios molhados antes de usar secador ou chapinha)
  • Possui ação antifrizz
  • Ajuda a reduzir volume
  • Protege os fios dos tratamentos químicos (por isso evite aplicá-lo antes de um alisamento ou tintura, para não atrapalhar os procedimentos)
  • Nutre os cabelos sensíveis danificados após processos químicos
  • Não necessita ser aplicado em conjunto com outros óleos ou cremes hidratantes; é autossuficiente

Ao sentir que o cabelo está ressecado, aplique algumas gotas de Óleo de Ojon nele, evitando a raiz.

Mas nada de exagerar! O ideal é passar o líquido no máximo três vezes por semana, pois ele é denso, e pode deixar os cabelos pesados, com aquele aspecto oleoso, como se estivesse sujo, sabe?

Quanto a comparações, em relação ao óleo de argan, por exemplo, o ojon tem um diferencial específico: tem mais gordura. Na verdade, os dois são bem parecidos, mas o segundo não fica legal em todos os tipos de cabelos.

Em geral, funciona assim: o Óleo de Ojon deve ser utilizado em quem tem cabelos realmente secos e danificados, com prejuízos muito profundos. Neste caso, a gordura dele dará um novo aspecto, devolvendo a maleabilidade perdida.

Quanto ao argan, ele também melhora os movimentos dos fios, o brilho etc. Porém, é mais “democrático”; pode ser aplicado em qualquer tipo de cabelo que necessite de uma revitalização, mas que não esteja completamente danificado.

Espero que o blog de hoje ajude você a escolher melhor o óleo nutritivo capilar para chamar de seu!